As Escolhas de… Joana Bouza Serrano

Viajo este mês para Lisboa com o objetivo de apresentar o meu novo livro, A Duquesa de Mântua, a princesa italiana que foi Vice-Rainha de Portugal, no 27 de Abril, às 18:30, na Fnac Chiado.

Apresentação do livro “A Duquesa de Mântua” de Joana Bouza Serrano

Nessa mesma noite, às 21.30, Caetano Veloso e Gilberto Gil actuam no Coliseu de Lisboa com o espectáculo “Dois Amigos, Um Século de Música”.

CAETANO VELOSO E GILBERTO GIL: “dois amigos, um século de música”

A viver há quase três anos no Norte da Europa, cada regresso a Portugal é uma oportunidade para matar saudades da cálida luz de Lisboa, em que procuro revisitar alguns locais especiais da “minha” cidade.

Ansiando por dias de sol e temperaturas amenas, quero muito ir espreitar o Tejo à esplanada do Museu Nacional de Arte Antiga, onde aproveitarei para visitar a exposição “O tesouro da Rainha Santa”.

O TESOURO DA RAINHA SANTA

Não esquecer que ainda vamos a tempo de “pôr o Sequeira no lugar certo”, contribuindo para a aquisição da “Adoração dos Magos” por parte do museu.

Outra paragem obrigatória será Belém, onde, por estes dias, decorrerá no CCB “Uma viagem à volta do Mundo em 80 concertos”.

 

joana_bouza_serrano

 

Joana Bouza Serrano
Historiadora

 

 

 

As Escolhas de… Rita Marrafa de Carvalho

A LISBOA QUE SE ENTRANHA EM NÓS…

Cresci na margem sul, no “deserto” seixalense, mas no ensino superior rumei para a outra margem. Lisboa é aquela cidade que se entranha em nós. Pela luz, pelas pessoas, pelo reflexo dourado do rio. Não há igual.

Gosto de “esplanar” junto ao rio. Chamo-lhe o aquário mas tem nome: “À Margem” é uma estrutura de ferro, branca, rodeada de vidro e de bom cheiro. Os scones quentes com manteiga e doce de abóbora no inverno ou as saladas frescas no verão. Uma vista de cortar a respiração para a outra margem e os sorrisos dos turistas, fascinados por aquilo que é nosso. Em qualquer dia, a qualquer hora, é um spot a não perder.

Nos dias 15 e 16 de Janeiro, o Fernando Alvim volta a convidar-nos a pensar num futuro e em Portugal. No Pavilhão do Conhecimento, entre as 14 e as 22 horas, com entrada livre, vozes das mais diferentes facetas da sociedade nacional vão contribuir com ideias, discursos, propostas. A edição não é uma estreia e revela sempre personalidades e concepções muito interessantes, além da possível participação do público. Vale muito a pena.

PORTUGAL 2036

 

No dia 16, às 22:00 mas no Bartô, em pleno Chapitô, não quero perder a festa d’A Gaja. É das páginas portuguesas de Facebook com mais “gostos”. Raquel Costa é jornalista mas criou uma personagem maravilhosa. A Gaja é uma mistura de sopeira camionista, com tiques de ninfo chique e acabou de publicar um livro. O Bartô recebe esta festa, que começa pelas dez da noite, e prometeu surpresas. Por isso, estarei por lá.

A Noite da Gaja

 

Quanto a cinema, estou em pulgas para ver o novo de Vicente Alves do Ó. “O Amor é Lindo… Porque Sim” tem um elenco fora de série e, pelo trailer, deve estar fantástico. Mas, isso, só lá para Março, altura da estreia. Até lá, veja o trailer… para abrir o apetite.

 

 

Rita Marrafa de Carvalho

 

Rita Marrafa de Carvalho
Jornalista RTP

 

 

 

As Escolhas de… Inês Pinto Queiroz

A CIDADE PARA PAIS E FILHOS

A minha vivência de Lisboa tem mudado bastante com o tempo. Uma das principais razões para esta mudança foi o nascimento dos meus filhos. Para quem tem crianças e não quer ficar em casa há sempre um excelente leque de opções à escolha. A dificuldade é escolher.

Sugiro um clássico: o Museu Nacional dos Coches, que é um dos meus preferidos. A evolução deste meio de transporte é uma forma diferente de ficar a conhecer a História. Do excesso decorativo do barroco (presente nos coches temáticos que integraram o cortejo da Embaixada ao Papa Clemente XI, enviada em 1716 pelo rei D. João V) ao triunfo da funcionalidade com os carros de passeio e os carros urbanos, passando pelo Landau do Regicídio, o carro onde foi morto o Rei D. Carlos I e o Príncipe herdeiro, D. Luís Filipe, aqui é possível ver um pouco do melhor que se produziu em termos de coches, a nível mundial.

Recomendo igualmente a exposição Colección Masaveu. Grandes Mestres da Pintura Espanhola Greco, Zurbarán, Goya, Sorolla, patente no Museu Nacional de Arte Antiga. Esta é uma oportunidade para ver obras de nomes maiores da pintura espanhola como Greco, Goia, Murillo ou Sorolla, numa seleção do espólio reunido ao longo de três gerações por uma das famílias mais importantes do tecido económico espanhol.

E não custa nada dar uma espreitadela ao “Sagrada Família com Santa Ana”, uma obra maior de El Greco que se encontra também no Museu Nacional de Arte Antiga, até 10 de Janeiro.

Mas como nem só de museus e de programas com as crianças vive o Homem, deixo uma sugestão de dança, uma das minhas expressões artísticas preferidas. Rui Horta apresenta-se amanhã no Teatro Camões com o espetáculo Danza Preparata: uma coreografia das sonatas e interlúdios de John Cage, um espetáculo de homenagem ao compositor e uma oportunidade para ver o trabalho de um dos coreógrafos portugueses mais interessantes.

Conheça aqui as edições mais recentes da Matéria-Prima.

 

ines_queiroz

 

Inês Pinto Queiroz
Directora Executiva
Matéria-Prima Edições

 

 

As Escolhas de… Jorge Picoto

O HUMOR ANDA À SOLTA PELA CIDADE…

Por vezes a tristeza de viver num local onde pouco ou nada se passa torna enorme a alegria de aparecer qualquer coisita. Não é o caso de Lisboa. Não falta o que se passe. O que se veja, o que se beba, coma, leia ou assista.

E por todo o lado. Quem diria que num país como este, tão pobre em apoio cultural, existisse tanta riqueza em oferta cultural?…

Mas eu vou ser egoísta (ninguém é perfeito… e, por sinal, este nem sequer é um dos 7 pecados capitais). Por isso, deixo aqui umas sugestões no que ao meu meio diz respeito: o humor.

Mas não é só egoísmo. É que o humor está cada vez mais à solta pela cidade. E, finalmente, existe um espaço próprio dedicado à comédia no coração de Lisboa, o Lisboa Comedy Club. Quase todos os dias da semana, seja mais tarde ou mais cedo, há gargalhadas à nossa espera.

Aqui, no dia 13 de Novembro, por exemplo, subirei ao palco a convite do David Cristina em Conta-me tudo, acompanhado pelo Manuel João Vieira e pelo Gimba.

A prova de que o humor ocupou mesmo vários espaços de Lisboa é que, nessa mesma noite, no Teatro Villaret, o Hugo Rosa vai mostrar que é ‘Muito Mais’ que o gajo dos cartazes. E é, que eu sei! Precisamente neste dia, 13 de Novembro, o Hugo Rosa celebra seis anos de carreira com um espectáculo de stand up comedy, Muito Mais.

No Chapitô temos o Gong Show, d’ O Humorista, um concurso de talentos de stand-up comedy, todas as sextas-feiras até 30 de Novembro.

Finalmente, a partir de 21 de Novembro, vamos ter no Bartô, no Chapitô, uma programação nova e diferente todos os dias da semana, com música, humor, tertúlias, conversas e um ambiente onde os artistas se sentam e conversam connosco, como se estivéssemos em casa. Deles ou nossa.

Lembrem-se que, por vezes, os melhores artistas (no caso, comediantes) não são só os que aparecem na TV…

O riso evita até que tenha que fazer terapia. Ou, aqui no caso, a terapia pode provocar o riso. Saiba como neste vídeo do projecto Trutas D’Avalon. Divirta-se!

 

 

jorge_picoto_2

 

Jorge Picoto

Actor e comediante

 

 

 

As Escolhas de… Ricardo J. Rodrigues

A COLINA CERTA

Durante anos, sair era colina abaixo. Bairro Alto, Bica, Cais do Sodré. Ainda vou a estes sítios, mas raras vezes sou um fiel cumpridor da rota plena. Escolho mais o Bairro Alto para jantar, a Bica para conversa, o Cais do Sodré para dança. Talvez tenha gasto nesta geografia a minha dose de noite, de euros e de fígado, pode ser isso.
Mas a colina onde cumpri toda a boémia juvenil, e muita adulta, serve-me hoje outros propósitos. Ir ao Teatro da Politécnica, ver o que só consigo ver no Cinema Ideal, inspirar-me nas exposições da Galeria das Salgadeiras, congeminar férias no restaurante Mimosa e planos para salvar o jornalismo no Baliza Bar.

Há uns anos mudei-me para o Intendente, apanhei em cheio a renovação do bairro. Tornei-me fã incondicional da outra colina, a que desce da Mouraria até ao largo que antes era de prostituição e hoje é de esplanadas cool. Tem as doses certas de urbanismo e ruralidade, falo mais inglês do que português nas lojas, mas todos os empregados me tratam pelo nome.

Numa noite vou petiscar a Cabo Verde e ao Bangladesh, mas acabo a jantar o entrecosto da Dona São no Grupo Recreativo e Excursionista Os Amigos do Minho. Há fado e música eletrónica, o Portugal mais português e a vivência mais cosmopolita que se pode imaginar.

Aqui as noites correm com outro ritmo, não há magotes como na outra colina. E acreditem que o melhor é começar com comida, não há nada mais sincero do que isso. Eu gosto dos chineses clandestinos do bairro, onde se come por tuta e meia comida caseira de Shangdong. Mas há o Cova Funda para comida portuguesa, boa e barata, e há o Cantinho do Aziz, que tem o melhor da gastronomia moçambicana.

Os primeiros copos bebo-os na Associação Renovar a Mouraria, que tem um programa de festas constante e todo o espírito do bairro. Depois é rumar ao Largo do Intendente, se não houver concerto na rua há-o seguramente na Casa Independente, que este mês anda a comemorar o terceiro aniversário com concertos e na noite das bruxas tem um promissor concerto do Legendary Tigerman. Fim de noite é no Flamingo, ali no Largo do Trigueirinho, que tem boa música e melhor gin.

As coisas novas entusiasmam-nos, tenho muitos segredos guardados nestas ruas. Aqui cabe o mundo inteiro e eu, que tenho tido oportunidade de correr meio mundo, tenho a outra metade aqui às portas de casa.

THE RIGHT HILL

For many years, going out at night was just down the hill. Bairro Alto, Bica, Cais do Sodré. I’m still going to these places, but rarely going for the full route. I choose Bairro Alto for dinner, Bica for chatting, Cais do Sodré to dance. I might have spent my dose of night, euros and liver on the geography, I might have indeed.

But the hill where I did my whole juvenile bohemia, and some adult too, serves other purposes today. Going to the Teatro da Politécnica to see what I can only see at Cinema Ideal , inspire myself in the Galeria das Salgadeiras exhibitions, cogitate holidays in Restaurante Mimosa and planning on how to save journalism in Baliza Bar.

A few years ago I moved to the Intendente, caught in full the renewal of the neighborhood. I became an unconditional fan of the other hill, which descends from Mouraria to the plaza that was once a prostitution location and that today has some nice cool terraces.

It has the certain doses of urban and rural life, I speak more English than Portuguese inside the stores, but all employees call me by my first name.

One night I’m snacking at Cape Verde and  Bangladesh, but I finish dinner with ribs from Dona São at Grupo Recreativo e Excursionista Os Amigos do Minho. There are electronic music and fado, the more Portuguese of Portugal and the more cosmopolitan experience we can imagine.

Here the nights run with another pace, unlike the other hill there are no crowds. And, believe me, the best is to start with food, there’s nothing more honest than that. I like the illegal Chinese restaurants in the neighborhood, where you can eat Shangdong’s food. But there is the Cova Funda of Portuguese food, good and cheap, and there’s the Cantinho do Aziz, which has the best Mozambican cuisine.

The first drinks are drunk at Associação Renovar a Mouraria, which has a program of parties and the whole neighborhood spirit. Then I go to the Largo do Intendente, if there is no concert on the street there are surely at Casa Independente, which commemorates it’s third anniversary this month with concerts and a Halloween night with a promising concert from Legendary Tigerman. Late-night is at Flamingo, located at Largo do Trigueirinho, with good music and the best gin.

New things excites us, I have many secrets stored on these streets. The whole world fits here and I, who have had the opportunity to travel half the world, have the other half here at my home door.

 

foto_passe

 

Ricardo J. Rodrigues

Jornalista
Notícias Magazine

 

 

As Escolhas de… Carlos Moura-Carvalho

Aceitar sugerir eventos em Lisboa é uma tarefa “difficile”, “spinosa”.

Só aceite por ser para o… “Locale”.

São dezenas e dezenas de concertos, festivais, debates, sessões de teatro, cinema, música, fantoches, desporto, cursos e workshops que acontecem regularmente em Lisboa. Sinal de dinamismo, criatividade, poder de compra, cosmopolitismo, arrojo.

O “Locale” agrega tudo o que vai acontecendo. E fá-lo com competência, qualidade, facilidade de consulta, irreverência e bom gosto.

O espectáculo, mas sobretudo, a arte e a cultura em geral, têm esse enorme poder. Surpreender e estimular. Intrigar e desafiar. Mexer com o gosto, os sentidos, o prazer. Mau, bom. Horrível. Brilhante. Nojento. Lindo. Perceptível. Incompreensivo. São reações que perturbam os sentidos.

Por tudo isto, torna-se incontornável enfrentar a tarefa e, perante a dificuldade, sugerir não um evento, mas três. Três sugestões que me estimulam, que marcam a diferença, que merecem ser vistos. Pela originalidade, criatividade e força. Uma força que nos obriga a sair de casa, a alterar a rotina, a recusar pretextos para o comodismo. A pensar. Mesmo que por breves minutos.

As sugestões para os próximos dias são:

UM DIÁLOGO SOBRE A NEGRITUDE, um filme de Manthia Diawara, com base nos textos e pensamentos de WOLE SOYINKA E LÉOPOLD SENGHOR. Até 08.11.2015 no Lumiar Cité. As sessões são diárias às 15:00, 16:00, 17:00 e 18:00. A entrada é livre.

CONCERTO COM O CORO DO TEATRO NACIONAL E A BANDA SINFÓNICA DA GUARDA NACIONAL REPUBLICANA no Dia Mundial da Música, 1 de outubro, às 21h30, nas ruínas do Convento do Carmo. As obras são de Strauss, Tchaikovski, Frederico de Freitas, de Bizet, Verdi e Borodin. A entrada é livre.

HAMLET, de William Shakespeare, baseada na tradução do clássico para a língua portuguesa, de Sophia de Mello Breyner Andresen. A encenação é de Luís Miguel Cintra. No Teatro da Cornucópia. De 18 de Setembro a 17 de Outubro. Quarta às 19.00h. Sexta e Sábado às 20.00h. Domingo às 16.00h.

Espero que sigam as minhas sugestões. Que gostem. E depois, que partilhem o que sentiram no Locale. Mesmo que tenham odiado…!!!

Accepting to suggest events in Lisbon is a “difficile” and “spinosa” task.

Only acceptable since it’s for … “Locale”.

There are dozens and dozens of concerts, festivals, debates, theatre and film sessions, music, puppets, sports, courses and workshops that take place regularly in Lisbon. That’s a sign of dynamism, creativity, purchasing power, cosmopolitanism, boldness.

“Locale” aggregates everything that is happening. And does it with competence, quality, user-friendliness, irreverence and taste.

The show business, but above all, the art and culture in general, have this enormous power. They surprise and stimulate. Intrigue and challenge. Mess with the taste, the senses, the pleasure. Bad, good. Horrible. Bright. Disgusting. Beautiful. Noticeable. Uncomprehending. These are reactions that disturb the senses.

For all this, it is essential to face the task and, given the difficulty, to suggest not one event, but three. Three suggestions that stimulates me, that makes the difference, that deserves to be seen. The originality, creativity and strength. A force that compels us to leave the house, changing the routine, to reject excuses for complacency. Thinking. Even only for a few minutes.

My suggestions for the next days :

A DIALOGUE ON NEGRITUDE, a movie by Manthia Diawara, based on texts and thoughts of Wole Soyinka and Léopold Senghor. Until 08.11.2015 at Lumiar Cité. The daily sessions are at 15:00, 16:00, 17:00 and 18:00. Admission is free. 

CONCERT WITH THE PORTUGUESE NATIONAL THEATRE CHOIR AND GNR (REPUBLICAN NATIONAL GUARD) SYMPHONIC ORCHESTRA at the World Music Day, October 1, at 21.30, at the ruins of Convento do Carmo. The pieces are from Strauss, Tchaikovsky, Frederico de Freitas, Bizet, Verdi and Borodin. Admission is free.

HAMLET, by William Shakespeare, based on the classic translation into Portuguese by Sophia de Mello Breyner Andresen. Dramatization by Luís Miguel Cintra. At Cornucopia Theater. From 18 September to 17 October. Wednesday at 19.00h. Friday and Saturday at 20.00h. Sunday at 16.00. 

Hoping you follow my suggestions and like them. And then share in Locale what they make you feel. Even if you hated … !!!

 

carlosmouracarvalho_ii

 

Carlos Moura-Carvalho
Membro da Associação O Bairro em Movimento